Seguidores

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

É madrugada




É madrugada, eu ainda não dormi, escuto o canto do galo e me dou conta de como o tempo passou e não percebi, e que bom que não é por ansiedade ou outro motivo desconfortante que estou acordada, é que gosto de ler poesias sentindo o frescor da madrugada, bebendo o orvalho do amanhecer que rega meu sorriso e deixa-me pronta para começar um novo e abençoado dia com as graças que Deus me concede; sempre!

Obrigada meu bom Deus, tantos a essa hora estão em um leito de dor, outros dormem ao relento sem cobertor, alguém é atacado sem nada de errado cometer, e eu aqui estou no meu canto desfrutando de certo conforto, olho para minha estante e é como se meus livros tivessem braços acenando para que eu os tire da prateleira e leia, e assim faço, e a madrugada é de pleno diálogo com essas criaturas do saber.

E o galo canta,
Anuncia o amanhecer,
A noite se espanta,
Vendo o dia romper,
Teme que os raios de sol
Possam esmaecer
Sua negritude.

O poeta está a postos,
Abastecido de orvalho e aurora,
Com saudade da sua musa
Vestida de preto
Que mais tarde voltará
A novamente lhe inspirar...!
? Ela, a noite!

dinapoetisdapaz