Seguidores

sexta-feira, 17 de março de 2017

De Olho no Plágio



Aviltante é roubar do poeta
a sua segunda pele que se chama poesia,
digo sem medo de pecar, quem assim procede, atesta
 ser ladrão de mente pobre que nada cria.

Sem imaginação, não sente, a mente não gesta
uma frase qualquer, muito menos uma elegia
deturpa uma poesia, e diz ser poeta
imagina-se inatingível da grotesca heresia.

Desconhece a Lei do Plágio, sua trama é lenta,
Sai por ai alardeando suas falsas teorias,
descaradamente publica o roubo e atesta,
não sei seé praga aninha ou baita ironia.

é o ladrão de poetas à solta fazendo sua festa,
está na hora de criar um manifesto, acabar com tal arrelia.
Se as Leis falham, que se unam os amigos poetas
em campanha divulgando a famigerada pirataria.

dinapoetisadapaz


Mirando el plagio

Degradante está robando el poeta 
su segunda piel que se llama poesía, 
Yo digo sin temor al pecado, que doth él, 
da fe ser pobre ladrón de la mente que no crea nada.

 Sin imaginación, no se siente, 
la mente no gestado cualquier sentencia, 
y mucho menos una elegía falsifica la poesía, 
y dice ser poeta imagina la herejía.

 grotesca inalcanzable. 
 Sin darse cuenta de la Ley de plagio, su trama es lenta,
 Sale por ahí haciendo alarde de sus falsas teorías,
 descaradamente publica robo y certifica, 
No sé upIt de plagas nido o ironía infierno. 

 es el ladrón de poetas en el flojo haciendo su partido, 
es el momento de crear un manifiesto para finalizar una tomadura de pelo.
 Si las leyes no pueden unir a poetas amigos
 campaña promocionando la piratería notoria.

 dinapoetisadapaz