Seguidores

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Dentro do Cristalino



Cansada da sua inatividade
a folha branca ali inoperante,
convidou-me a uma atividade;
escrever um poema elegante.

Um poema com mensagem
tocante; alguém que saiba
ser verdadeiro e traga na bagagem
uma linguagem que caiba

no meu coração sofredor.
que todo dia morre de amor
mas, que ainda não encontrou
o amor que sempre desejou.

A inspiração, como ave voou
fiquei pelo desespero paralisada
que aflição ,o  repertório esgotou
e na minha folha branca; nada!

Apostei na habilidade
outra folha logo peguei
enfrentei com voracidade
a transpiração, e escrever... Tentei!!

Versos  inesperados, nascidos
de um olhar  ladino,
estavam escondidos
dentro do cristalino.




dinapoetisadapaz

Convite


http://www.cappaz.com.br/cirandamensal083.htm



Bom dia caros poetas e poetisas da blogosfera, sei das muitas tarefas que todos e todas tem a executar no seu dia  a dia, mesmo assim deixo aqui o convite para quem desejar conhecer e participar da  (CAPPAZ )  CONFRARIA DE ARTISTAS E POETAS  que acontece PELA PAZ, é um confraria sem fins lucrativos, a única exigência é participar da Ciranda que publicamos uma vez por mês, das Antologias participa quem quer.

Quem se interessar pelo ingresso na CAPPAZ, entre em contato comigo pelo e-mail:
dinacirandacappaz@gmail.com

www.cappaz.com.br

http://www.cappaz.com.br/afbook/

https://www.facebook.com/Cappazoficial

CAPPAZ REGIONAL PARAÍBA NO FACE
:https://www.facebook.com/people/Cappaz-Confraria-Cabedelo/100010564511542

blog CAPPAZ:
http://somospoetascappazes.blogspot.com.br

DINÁ FERNANDES - COORDENADORA NACIONAL DAS CIRANDAS CAPPAZ.


domingo, 7 de fevereiro de 2016

Alegria morta



Plumas coloridas
mascaram a dor
que me atinge em cheio.
Os estragos são bem visíveis,
basta mirar minhas pupilas.
Veja! Sou apenas deserto de mim,
De alma ferida, alegria morta.


dinapoetisadapaz

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

A poesia ..



A poesia...

 Ela é assim...Invasiva...
Me espera em qualquer lugar,
na violeta da janela,
nos jardins povoados de borboletas,
na  leveza do beija-flor,
na noite enluarada,
na correnteza do rio,
nas ondas espumantes do mar,
na calmaria de um cais sem barco,
nos fios de prata da chuva,
nas feridas da terra,
na solidão da rosa...
Enfim, onde os olhos do poeta alcança
há sempre um poema a ser escrito!


dinapoetisadapaz