Seguidores

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Para a amiga Lucia Silva



Interação ao Poema Girassol

A Flor Girassol

Girassol, movido pela luz solar
Pela manhã é todo norte.
À tarde é sul, não se pode duvidar
Criação divina de frágil porte

Abençoada mão lançou a semente
Tão logo com vigor germinou
Cresceu, com sua beleza reluzente
O ambiente, logo se transformou

Assim como amamos as pessoas
A planta também precisa de amor
Se a voz carinhosa junto a ela, ecoa
O carinho a revigora , faz brotar a flor

Girassol, que tão linda flor!
Sua cor é da prosperidade
Minha doce amiga, outra flor
Juntas, cultivam linda amizade 

dinapoetisadapaz

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Sentimento Negativo


O Fazer espontâneo!



Imagem retirada do Google

Diz o velho ditado:
“Não vou à sua casa
“Pra você não vir na minha”.

Certo, mas eu vou sim, na sua casa.
Sem cobranças, e de bom grado.
Passeio pelo seu jardim,
Rego suas plantas,
Colho as rosas nascidas
Mergulho no seu mar,
Navego nas suas ondas,
Admiro suas pérolas.
Saio de cena, embriagada,
Algo novo aprendi!
Plantei no seu terreno
a semente da amizade... 
Isso para mim é gratificante!
Não me importo se vens ou não a mim!

Nada é mais prazeroso que a espontaneidade!

dinapoetisadapaz

domingo, 13 de agosto de 2017

Vamos brincar com a chica nº 29 ?


Vamos brincar com a chica nº 29 ?

Chica chamou, cheguei atrasada, mas cheguei!

Hoje nada inspirada,!



1- No Pernambuco, praia chamada" CARNE de VACA"
PS: O visual bonito, mas a qualidade d'agua não é recomendada para uso de banhistas


 2- Tomou leite de VACA louca, pirou total


3- Carne de VACA não oferece boa  qualidade


4- No sítio, eu gostava de ordenhar VACA


Barros de Alencar - Sua Benção, Pai!

Pai- FELIZ DIA DOS PAIS

Aos amigos e Pais blogueiros 
votos de um FELIZ DIA
COM MUITO CARINHO RECEBIDO!




sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Hai Cais



Noite invernal
Corpo quer aconchego
Vem me aquecer...


Gaivotas no céu
Desenho celestial
Bordou meu olhar


Chuva caindo
Festança na floresta
Momento feliz


Brasil lascado
Seu povo mendigando.
Água na mesa


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Hai Cais



Bico de Ouro
Poeta da Floresta
Um belo Canto



Na  Primavera
Poema  Perfumado
Aroma no Ar


Linda  por  fora
conteúdo  interior
inconsistente


Zéfiro Passou
Levou  toda  Tristeza
Leveza no ar


Finda  inverno
Primavera  grávida
Parto florido


Flores e Cores
Borboletas Felizes
Tempo  Bordado

dinapoetisadapaz














terça-feira, 8 de agosto de 2017

Alguns Haicais


Flor de primavera, lá de Canela do Caracol /RS


Campo florido
Beleza campesina
Ar perfumado


Calor noturno
Coração inflamado
Amor de verão.


Lampejos no céu
Trovão ribomba forte
Predição vindo


Chuva fininha
No Jardim orvalhado
Rosa sorrindo

dinapoetisadapaz

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Acabou o glamour

Tento constantemente
libertar meu coração
do inconversível amor por você...!

Ó coração, apieda-te do meu ser.
Rasga o véu que veda meu olhar
Que impede  um novo investimento...!

Conheço a tua amorosidade,
E a saudade do tempo glamoroso.
Mas, é hora do adeus definitivo...!

Coração, não seja bobo,
Preciso que esqueça as  ponderações
Prepara-te para novas investidas...!

Esqueça a recidiva
que abre a ferida e retorce suas fibras.
Sorria, deixe a tristeza faminta...!

sábado, 5 de agosto de 2017

Enfermagem (Decanato Poético)


P/ Semana da Enfermagem!


Todo dia a mesma rotina
Quando o dia se descortina
Seja sol ou mesmo neblina

Aquela criatura leva em seu interior
O coração cheinho de amor
Para aquele que sofre num leito, a dor.

Enfermeira é um ser abnegado
Esquece-se de si e do seu enfado
Para bem atender do paciente, o chamado.

Uma missão singular e muito amor doado.

Brincando com a Chica num 28




Vamos brincar com a Chica num 28?

Chica nos leva à ESCOLA
Dita o tema e aguarda.
Com neurônios aquecidos
a inspiração se achega,
vamos que vamos por no papel
nossa obra de arte.

https://sementesdiarias.blogspot.com.br

Minhas frases:



1- ESCOLA , melhor lugar depois da nossa casa!



2-Triste sina de quem nunca foi a ESCOLA



3- Na ESCOLA, procure deter todo o ensinamento



4-A ESCOLA da vida  ensina com dureza




sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Desilusão


Entreguei-me a ansiedade de tê-lo.
Esperei como o amanhecer espera o sol,
Era imenso o brilho dos meus olhos...

Enfim, vieste...,
Solícito, cheio de ternura.
Uma lágrima caída em minha face
confessou todo meu afeto.

Mas, foste fraco
ao primeiro obstáculo,
como uma onda que se desmancha
na areia  e morre,
assim  morreu seu falso querer.

Como chuva,
Todas as palavras ditas,
caíram por terra.
Não há desilusão que perdure
Em coração ávido de superação.


Escritor Políbio Alves, lança seu novo Livro!




Bom dia!!

Você Escritor e poetas paraibanos, ou simplesmente um leitor vamos prestigiar nosso conterrâneo e conheça o seu novo livro, que com certeza é uma obra prima.Vale à pena conferir!!
O Políbio, é uma pessoa simples de uma humildade ímpar!


POLÍBIO ALVES E A LESTE DOS HOMENS!

“A leste dos homens” é o título do mais novo livro do escritor paraibano, Políbio Alves, que será lançado no próximo dia 11 de agosto de 2017, às 19h, no Centro Cultural Ariano Suassuna, localizado em Jaguaribe. A obra, do premiado poeta Políbio Alves, nos leva a uma travessia pelas entranhas da monstruosa face que os regimes ditatoriais assumiram no Brasil para manter no poder grupos oligárquicos de mentalidade agropastoril, que dominam as finanças, o povo, o país. O lançamento contará com o documentário “Eis aí, o poeta! do multimídia Hélio Costa. A leste dos homens será apresentado pelo professor, doutor em literatura, Milton Marques Júnior. SOBRE O LIVRO – Narração do autor “A leste dos homens” é a escritura dos opressores, dos oprimidos e também dos povos da América Latina. Em geral, denuncia as atrocidades praticadas pelo Golpe de 64, através da didatura no Brasil. Escrevi esse livro, para que ninguém possa desconhecer os tempos de chumbo, o ciclo de terror, da infâmia, do desespero, das feridas abertas, da dor e da tirania que se abateu sobre o povo brasileiro. Exatamente, as atrocidades que aconteceram, no Varadouro, desde o início da fundação da cidade, depois, durante o Estado Novo, mais adiante, nos anos 60 e 70. Além de que, este livro está situado historicamente entre dois parâmetros. Um, sobre a ditadura e o outro, a situação de Cuba nos últimos dias do governo Fulgêncio Batista. Um testemunho inusitado, corajoso, de quem sobreviveu nos cárceres clandestinos, à morte, à tortura, à fome, à sede. É também, uma visão de Cuba antes do triunfo da Revolução Socialista na maior Ilha do Caribe. Confesso: somente através de uma consciência política, é que eu acredito na humanidade. “A leste dos homens”, foi traduzido para o espanhol e publicado em Cuba no mês de novembro de 2016. Agora em português, numa nova versão, pelo editor Rafael Rocha, da Inverta, Rio de Janeiro. Sobre o autor O poeta e ficcionista Políbio Alves dos Santos nasceu na cidade de João Pessoa, em 1941, e é formado em Ciências Administrativas. Em 1974, recebeu o título de cidadania outorgado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, cidade onde viveu por mais de 15 anos e onde, nas décadas de 1960 e 1970, participou do suplemento literário do jornal Tribuna da Imprensa. Ele é detentor dos seguintes prêmios: Personalidade Cultural Internacional, conferido em 1999 pela União Brasileira de Escritores (UBE - RJ), e o Autore Del Ano (Autor do Ano), cedido, naquele mesmo ano, pela International Board of Examiner; em 2000, o Comissione di Lettura Internazionale, da Edizione Universum, da cidade de Trento, na Itália; a Medalha Poeta Augusto dos Anjos, pela Assembleia Legislativa da Paraíba, em 2001, quando também foi verbete da Enciclopédia de Literatura Brasileira; e, no ano seguinte, o Festival do Concurso Nuevos Escritores Latino-americanos, na Argentina, e a Comenda Cidade de João Pessoa, da Câmara Municipal. A Leste dos Homens é o nono livro lançado pelo autor, que já havia lançado os seguintes títulos, entre os quais três em espanhol, um em francês e outro em inglês: O Que Resta dos Mortos (contos); Varadouro (poesia); Exercício Lúdico: invenções & armadilhas, Passagem Branca e Objetos Indomáveis, todos de poesia, e, ainda, Os Ratos Amestrados fazem acrobacias ao amanhecer (contos) e La Habana Vieja: olhos de ver, publicado ano passado.
Contatos do autor:
Email: polibioalvesjpa@gmail.com
Celular: 83 9-99816262 – Residência: 32481688
83 9-88785396 (WhatsApp) - comunicação
Redes Sociais:
Facebook: https://www.facebook.com/poetapolibioalves/
Instagran: https://www.instagram.com/polibioalves/
Twitter: https://twitter.com/polibioalves
Site: www.polibioalves.com.br

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Cansaço



O cansaço dos meus dias
A monotonia continuada
O temor das avarias

Deixam minh ‘alma pesada
Essas estranhas companhias
Me querem acomodada...

Ô rotina que não me exorta
Vai bater em outra porta!