Seguidores

sábado, 19 de maio de 2018

Amor Enfadonho (Rondel)



Do nosso amor enfadonho
Confesso que nada restou
Tudo não passou de um sonho
Que tão brevemente findou

Amor incapaz com jeito bisonho
Que em meu coração aportou
Do nosso amor enfadonho
Confesso que nada restou

Não houve dias tristonhos
Saudade não me maltratou.
Quando alegre, acordei do sonho
Vi que meu coração se libertou
Do nosso amor enfadonho

Diná Fernandes

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Canto de Liberdade



Minha vida feita de quimeras,
de esperas sem retorno,
de ilusões perdidas entre as palavras
e promessas que nunca se cumpriram.

O amor que a ti dediquei,
as loucuras que por esse amor cometi,
não foram suficientes para consolidar a união?
Que mais querias de mim além do amor?

Tanto amei, como tanto sofro agora
com a inesperada partida,
com um dorido ponto final
sem nenhum questionamento.

Segue firme teu caminho,
a rotura entre nós não terá emendas,
a dor que agora de mim não se apieda
faz de mim um pássaro sem gaiola
voando em liberdade.
Um canto ao renascimento!

Diná Fernandes

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Castigo? (Enlaces Disticus)


Minh’ alma está um tanto vazia,
Quem absorveu minha energia?
A palavra deu nó na garganta,
A inspiração não se agiganta.
Será que salguei a santa ceia?
Estou em punição, presa numa teia.
Vejo tudo e nada sinto...
Quem sabe um cheiro de absinto
Para que eu possa encontrar,
Um motivo para poetar.

Preciso de nova alegoria
Para instigar a dona poesia!

Autoria: Diná Fernandes
( enlaces dísticus ) é criação de Aila brito

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Se eu partir amanhã (Indriso)


Se caso amanhã eu partir
Para a minha eterna viagem,
Tal qual um palhaço que rir

Camuflando as dores
Que seu coração veio ferir,
Morrerei como as flores

Que deixam no solo,  sementes.

E assim partirei, irremediavelmente

Diná Fernandes

sábado, 5 de maio de 2018

Poetrix

Humildade
Perdão verdadeiro
Ausência de resquício
Paz d’alma.

Diná Fernandes

Primavera
Acordei  primavera
Meu olhar vislumbrou
imensa aquarela.

Diná Fernandes

Gastança

Conta recheada
Gasto desenfreado
Preciptação...

Diná Fernandes

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Agradecimento as amigas:


Boa noite amigas:
Anete,
Carmen,
Chica,
Clau,
Elvira Carvalho
Elza (Estação Cigana)
Gegê
Gracita
Lucia Silva

Agradeço a carinhosa  presença e votos de permanência
na blogosfera pelos dois anos de blog, vocês fizeram a diferença
e afagaram meu coração.
A amizade é  coisa  gostosa de se ter , e consideração
é prazer dobrado!
Flores e mimos ofereço à vocês
Bjs meninas!

Este lindo mimo ,presente da querida Gracita  enfeitou minha página de carinho!
Mais uma vez gratidão amiga.
Bjss!

quarta-feira, 2 de maio de 2018

MUSICA CIGANA - CIGANO PABLO (MPR)

2 Anos de blog


O Blog Alegria de Viver, está completando 2 anos . Criei o blog com um certo desânimo, já havia criado outro anteriormente , devido problemas de e-mail  entre a Mycrosoft e o Google
o mesmo foi bloqueado e perdi o acesso total, nele havia 300 seguidores, foi uma decepção total até tomar coragem para criar um outro, precisei de um bom tempinho, enfim nasceu o Alegria de Viver em maio de 2016.
E aqui estou a gradecer aos meus seguidores que através das preciosas visitas e leituras, fizeram o blog crescer, sem  o aval destes amigos seguidores que com carinho deixam suas impressões sobre meu trabalho, seria impossível o crescimento. Na verdade são poucos os seguidores, mas número não me enche os olhos, prefiro qualidade.
Aos especiais amigos, de coração, deixo meus sinceros agradecimentos.

Diná Fernandes

terça-feira, 1 de maio de 2018

Recordações




Difícil é diluir as recordações aglutinados na memória.
 São vestígios de saudade em forma de coloridos retalhos
 que insistem em não desbotar, querem a todo custo ser parte de você.

Diná Fernandes

quarta-feira, 25 de abril de 2018

A Silhueta


A luz da divina lua que a sua janela clareava, 
Deixava à mostra a sua silhueta imponente 
A passear em seu quarto, e eu imaginava 
A sua real nudez, eu devaneava loucamente 

E ali solitário e lascivo, e você não se entregava, 
Apenas provocava o meu desejo premente. 
Murmurava, sonhava, e em seu corpo eu passeava. 
Queria-te amante, sentir em mim seu corpo quente. 

Perdia-me na sua sombra que me deslumbrava, 
Ensandecia-me por lhe querer  tão apressadamente 
E assim, todas as noites sua silhueta eu devorava 
Com olhares de paixão, queria-te alucinadamente! 

Certa noite, o amor pressentiu o quanto eu ansiava 
E num ímpeto, em meu quarto te fizeste presente 
O teu cálido oceano de mistérios, eu muito desejava
Quase incandescente, te abracei... Finalmente!

Diná Fernandes






Bom dia


Que Deus nos abençoe!

sábado, 21 de abril de 2018

Não mudarei para agradar


Quisera ser compreendida...
Me avaliam de forma depreciada
só porque não tenho vértices...?

Mas, a minh ‘ alma tem lacunas
espaçosas, e minhas ações
são grandiosas...
são o espelho onde
todos podem vê-la.
Não preciso mudar para agradar...
muito menos, fugir da minha linha de pensamento.

Preciso apenas respeitar o seu ponto de vista ,
não com depreciação...mas sim, com humildade
e discernimento
O ser humano quando valoriza em excesso a vaidade
acaba ignorando os valores básicos,
buscando a superficialidade, o status,etc...
onde anda a personalidade?

A minha é imutável... e a sua?

Diná Fernandes

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O sorriso de uma estrel


Aquela estrela cadente que voava,
antes que fosse apagada
jogava sorrisos coloridos no ar.

A lua prateada
que beijava os mares,
vestiu-se de nuvens
só para não ver aquele sorriso
apagado em águas abissais.

Ah! como eu queria
ter o senso da
cumplicidade da Lua,
e o sorriso colorido
de uma estrela.

Diná Fernandes

Bom dia!






terça-feira, 17 de abril de 2018

Ouvi o tédio chorar


Dias negros vivi amargando triste escuridão
Eu imaginava lá fora um belo dia ensolarado
Aqui dentro do meu coração, alegria havia não
Malvada tristeza mantinha-me desconsolado...!

Meu jardim já não produzia mais flores
Meu olhar desbotou, tudo era sem graça
Quando me dei conta dos dias de horrores
Garimpei um novo contexto, rasguei a couraça...!

Quase carcomida, num canto qualquer
À duras penas consegui a tristeza expulsar
Rebelei-me contra o triste retroceder
Fechei as cortinas do sim, ouvi o tédio chorar...

O que era fosco em brilho foi transformado
Pude vislumbrar novas cores, voltei a sorrir
Senti uma força superior, do chão fui içado
Para o vão da liberdade, feliz eu pude ir...!

Diná Fernandes

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Trabalhando a Mente



Uns se refugiam nas palavras,
e com elas expressam as emoções
guardadas na fonte que produz a lavra;
o saber, o expressar, o sentir, as paixões...

Outros se refugiam num olhar contemplativo,
buscam organizar o pensamento
através da reflexão, é um ato comunicativo
com Deus , espírito e[ mente] é um consentimento

que o Ser se permite a um melhor conhecimento
de si, objetivando lapidar suas ações.
É um trabalho contra as leis inferiores e encharcamento
da alma pela carga de negatividade e alienações.

O ato de disciplinar-se é uma guerra necessária e benfazeja,
é um confronto com os silenciosos inimigos que estão dentro de nós
ditando mecanismos indesejados. É preciso que a mente esteja
limpa sem defeitos interiores como água cristalina que sai da foz.

Diná Fernandes



segunda-feira, 9 de abril de 2018

Fogo da poesia

Minha produção literária não é farta,
Meu linguajar nada tem de rebuscado,
às vezes é bem apreciado,
normal, impossível servir a dois deuses,
mas eu sou insistente e persistente,
e os meus versos,
são como poeira no deserto,
não se acanham,
basta um pé vento,
uma fagulha qualquer,
para acender a chama da inspiração.

Nascem do fogo da poesia, 
 com uma certeza;
meus escritos não envergonham a língua pátria.

Diná Fernandes

sábado, 7 de abril de 2018

Descaso, o retrato do nosso país



Natalidade descontrolada
População desordenada
Estatísticas furadas

Sistemas congestionados
O pobre na fila humilhado

Vida sem qualidade
Aqui e em qualquer cidade
Sofre o povo de qualquer idade

Cresce o espaço para a ignorância
Conjugado com as circunstâncias
da violência e massacres

O cidadão engaiolado
O bandido solto e folgado
dizimando vidas por puro prazer

Na prisão exige direitos
Na comida bota defeitos
tem suas regalias
e tem uma renda mensal

Desmandos de todos os lados
E sofre o povo calado

É vergonha nacional
a bala perdida que atinge inocentes
É grande a  falta de respeito
Com todo e qualquer sujeito

Diná Fernandes

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Meu quase neto Theo


01 mês de vida                                                            Hoje 02 meses
Minha sobrinha Estela, filha da minha quase filha e sobrinha Rosário  com seu bb aos 2 meses  os tios

Oh tio Jinjo , os eus já cresceram , agora curte os sobrinhos
Theo lindão, que Deus lhe cubra de bençãos.

Flamenguista não viu Theo!

Rosário, a  vovó do Theo , 
embora do outro lado do oceano, 
mas presente no coração!


domingo, 1 de abril de 2018

Feliz Recomeço!


Mais uma Páscoa
acabamos de comemorar.

Pelas tantas expressões de votos
desejando paz amor e tudo mais,
é para se imaginar
que estejamos todos
 em pleno estado de renovação,
ou seja; vivendo um tempo novo,
tempo de esperança, de temperança,
de bondade a praticar, pois em tempos.
de tempo novo e, de acordo com tantos desejos,
de bênçãos , amor e partilha, vamos que vamos,
praticar o exercício da bondade que nos remete
a um estado de Bem Estar e felicidade.

Amar a Deus, não é apenas timbrar o papel
 com palavras bonitas, é se propor também
a seguir seus ensinamentos e sentir-se gratificado
por agradá-lo.

Aquele olhar indiferente é agora coisa do passado,
a pedida hoje é igualdade, é tolerância, sorriso nos lábios, é amor no coração,
é por em prática todos os desejos que em versos expressamos.

Feliz Recomeço,  feliz semana!

Diná Fernandes

quinta-feira, 29 de março de 2018

Noite e Lua


Tenho noite e lua,
tenho sol e dia...

o sol me acorda a cada manhã,
 brinda meu olhar
com o generoso verde dos montes,
lá onde mora a solidão,

lá onde a noite escura
joga seu manto,
abafa o grito das trevas.

Meus olhos se fecham,
não gosto de solidão...

A lua melancólica e pálida
se insinua entre a densa neve
que anuncia a aurora
fosca e fria.
E recolhem-se...!
E dormitam... noite e Lua!

Diná Fernandes

quarta-feira, 28 de março de 2018

Feliz Páscoa - Acróstico






















F. Fausto e fraterno momento a viver
E. E que seja com todo fervor.
L. Luz, Fé e desejo de Renovação para
I.Infundir nos corações, Amor e Partilha.
Z.Zéfiro, traga em suas asas a pomba da Paz!

P. Para todos que vivem na Fé,
A. Ainda que traga n’alma , a dor,
S. Seguros do Amor Maior
C. Consigam libertar o coração e comemorar
O. O verdadeiro sentido da Ressurreição.
A. Aleluia, Aleluia para nosso Cristo Jesus!


dinapoetisadapaz

NOVO TEMPO

Do aprendizado da vida,
          nada
                 a   desperdiçar.

Releia sua história,
               vire a página,
                          Se preciso for,
                                        apare as arestas.

  Um  mundo novo?
                                                                           Novos ares,
                                                                                      novas paragens

Novos encontros
                      novas sensações
            novos amores 

   Cuidado!
                                        com alumbramentos
                                  em excesso!



Um novo tempo,
             Recomeço,
Exagere na fé!
                 Lapidação!
         
 
                                                                         dinapoetisadapaz



domingo, 25 de março de 2018

Eu entre as flores - Acróstico
















D ália, de origem mexicana

I pê amarelo, minha cor preferida

N im, Árvore frondosa, anti-insetos

A çucena, cor violeta, linda!


F idalguinhos, azul da cor do céu

E ritreia, flor miudinha como eu

R osas , perfumam ambientes

N arciso, representa a Paz e a Luz

A rnica, curativa, tem alma de enfermeira

N igela, anti-histamínico azul e branca

D ormideira, tudo a ver comigo

E quinácea, tem propriedade estimulante, imunológico

S aia-branca, ornamental e perigosa , não combina comigo

dinapoetisadapaz


Saia branca



quarta-feira, 21 de março de 2018

Ventos Outonais

Para receber o outono, um pequeno poema em parceria com
a poetisa e minha irmã nordestina Valdilene Dias)

Galhos desnudos
como que a olhar
as folhas sem viço
bailando no ar.
Me dá uma tristeza
ver esse tempo assim
folhas caindo
não faz bem prá mim

Queria bonança
de um tempo bem-vindo
mas, vão-se as esperanças...
ao vento rugindo

Vento de canto dolente
andorinhas entristecidas
buscam lugar quente
iniciam suas partidas
dinapoetisadapaz&Valdilene Dias

terça-feira, 20 de março de 2018

Se me queres...


Se me queres, queira-me sim
Independente d’alguma beleza,
Queira-me pela minha pureza
Pois beleza tem seu tempo e fim.

Tenho em mim a nobreza
Habita em mim, um jardim
Chamado ternura e singeleza
Minh ’alma tem textura de cetim

Veja-me com olhos da grandeza
Um ser bondoso como anjo serafim
Tenho na mente a suprema clareza
Que nosso amor nunca terá fim

Grandeza me refiro à profundeza
Da arte de admirar, e por fim
Entender que sou toda delicadeza
Não esqueça, registre em seu folhetim

dinapoetisadapaz

segunda-feira, 19 de março de 2018

Pele de Cordeiro

...Esconde a indiferença
nas pálpebras caídas,
pulverizadas pela poeira
da indiferença.
Mude seus conceitos...

Abras os olhos,
retire a máscara
da hipocrisia,
não seja assim
camaleônico.

A dor está nas ruas
a fome estampada
nos rostos,
e o seu olhar frio,
escondido na suposta
pele de cordeiro.

dinapoetisadapaz

domingo, 18 de março de 2018

Minhas pegadas



Cada passo dado...
Pegadas,
Buscas,
Sonhos,
Desejos,
Escolhas,
Vão permeando
Minha estrada.

A quem interessa
Minhas marcas?
Terei ou não
Algum seguidor?
Pouco importa!

Farei um baú
guardador de sonhos,
no mais, ficou
na mira do tempo,
sábio tempo, que de mim
subtraiu meu quase tudo.

O que não mereci
não me cabe julgar.

dinapoetisadapaz

Não poderia deixar o comentário do amigo Sol  ficar escondidinho ,
 razão pela qual exponho aqui a grandiosa  Interação ao meu texto,

As pegadas indicam o Caminho
Que a gente marcou, como um carreiro.
Mesmo que gravadas de mansinho
Elas são a luz do Mundo inteiro.

Beijo
SOL