Seguidores

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Passe o tempo que passar


Passe o tempo que passar
Meu amor é sempre voraz
Contigo, pra sempre quero ficar

O seu jeito de me amar
Assim um tanto audaz,
E eu, que sou amante perspicaz

Com minha’alma desejosa
De ti,fico mais e mais amorosa

dinapoetisadapaz

Pase el tiempo que pase
Mi amor es siempre voraz
Contigo, para siempre quiero quedarme

Su manera de amarme
Así un tanto audaz,
Y yo, que soy amante perspicaz

Con mi deseo deseoso
De ti, me quedo más y más amorosa

dinapoetisadapaz

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Recortes






















Fiz alguns recortes nos meus sentimentos,
Minh’alma estava com aspecto de vidraça
Ofuscada, e eu preste a me tornar um fragmento.
Sentindo tudo muito solto, dentro e em redor de mim

Decidi reerguer-me e não mais permitir
Que revires meu coração com falso discurso.
Nosso passado, até hoje permanecia inefável.
Doravante esconder-me-ei até da tua sombra.

Através das minhas vidraças quero apenas o verde
E não o negro das miragens que me faziam insone
Quem diria que um dia eu criaria coragem
Para me libertar desse amor, ora unilateral.

dinapoetisadapaz

En este sentido,
Minh'alma estaba con aspecto de vidriera
Ofuscada, y yo me convierto en un fragmento.
Sintiendo todo muy suelto, dentro y alrededor de mí

Decidí reerguirme y no permitir más
Que vuelvas a mi corazón con falso discurso.
Nuestro pasado, hasta hoy permanecía inefable.
De aquí me esconderé hasta tu sombra.

A través de mis vidrios quiero sólo el verde
Y no el negro de los espejismos que me hacían insomne
¿Quién diría que un día crearía valor
Para liberarme de ese amor, ora unilateral.

dinapoetisadapaz

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Mimo para o amiga Jaime!





Artimanhas do amor



As tantas dores de amor
Os tantos prantos derramados,
Ao coração causou tanta dor
Foi um sofrer moldado...

Para que não fosse percebido
Digeri todo meu dissabor,
Com o coração ressequido
Amargando desilusão e desamor

Tentativas de reconciliação
Não renderam bom resultado,
Ventos opostos varreram a paixão
Mas o coração sofre desconsolado

Antes tão amoroso e solícito.
São as artimanhas do amor
O dual, nele está implícito
Encanta e causa tanta dor...!

Quisera em seu coração adentrar
E seus desejos secretos descobrir
E, da ilusão de querer-te acordar
E de amor por você não sucumbir

dinapoetisadapaz

domingo, 28 de janeiro de 2018

A dor da subtração

Pintura de Belmiro de Almeida

No deserto das minhas noites vazias
Procuro um oásis para depositar
As lágrimas sentidas da longa agonia
Presente em meu ser que vive a prantear

Como refém da sua cruel decisão
de afrouxar a firmeza dos laços e partir
brinca e ignora a minha louca paixão
sabendo quanto dói o ato de subtrair

Desmoronou um amor livre e soberano
com pretensão de amar eternamente
que só buscou emoções e nunca enganos.
Ah! Como eu queria ser independente

de amor desmedido que chora como a lira
de poeta por acordes mudos, esquecidos.
Amei com veracidade, e no mar de mentiras
depositei tudo que o amor havia atribuído 

dinapoetisadapaz